Estas são as igrejas mais antigas do mundo (e suas histórias)

Essas igrejas são cheias de grandeza e história, e cada uma delas ajudou a moldar a cultura de seus seguidores religiosos.

a catedral de trier, st. basílica de pedro

Há algo encantador em entrar em uma igreja que é mais antiga do que qualquer edifício em que a maioria de nós já pisou. Além do aspecto religioso do significado de uma igreja, muitas pessoas encontram outros aspectos de igrejas antigas para apreciar, desde sua construção antiga e detalhes arquitetônicos até os antecedentes históricos por trás do motivo pelo qual foram construídas. Saber que muitas pessoas já caminharam pelos terrenos sagrados de um local antes de nós nos dias atuais traz consigo um tipo de magia e nostalgia com a qual não estamos familiarizados, mas sentimos como se pudéssemos estar.

Embora uma igreja possa não parecer um destino que muitas pessoas fazem de tudo para visitar, há apenas algumas que têm muito charme para deixar passar. Uma visita a qualquer uma destas igrejas pode não ser o que se espera mas pode ser uma experiência que acaba por ser melhor do que… A começar por estas.

Mosteiro De Santo Antonio

O Mosteiro de Santo António foi construído durante o século IV no ano de 356 e ainda é um mosteiro ativo até hoje, lar de mais de 100 monges. A primeira missão da igreja era ser um lugar onde os seguidores de Santo Antônio pudessem se reunir casualmente e eventualmente crescer a partir daí, com cinco igrejas a seguir. Antes deste mosteiro, os seguidores se reuniam em uma caverna no deserto do Egito; agora, o mosteiro também inclui uma padaria, oásis no jardim e uma biblioteca.

As mesmas tradições ainda estão em vigor hoje, juntamente com a restauração original de várias das igrejas do mosteiro. Visitantes do mosteiro. muitas vezes referidos como peregrinos que fazem uma peregrinação a este local sagrado, podem participar de passeios conduzidos por monges por seus antigos salões, inclusive para ver uma coleção de pinturas murais coptas medievais que adornam a parede sobre o túmulo do santo.

Santa Maria In Trastevere

Santa Maria foi construída em 340 e é uma das igrejas mais antigas de Roma. A própria igreja tem uma mistura de arquitetura do século III e do século XII, e é por isso que atrai muitos visitantes de todo o mundo todos os anos. O interior da igreja está repleto de belos mosaicos com uma fachada dourada, bem como uma torre sineira românica.

A própria igreja é uma dedicação à Virgem Maria e seus mosaicos do século XII refletem isso. Esses seis mosaicos foram criados por Pietro Cavallini e contam a história da vida da Virgem Maria e servem como o principal ponto focal da igreja.

Catedral de Trier

Esta extraordinária catedral foi construída no século IV e é inconfundível na sua arquitetura gótica e românica. É uma das maiores igrejas episcopais da Alemanha e atrai muitos por ser a maior igreja de Trier. Essa não é a única razão pela qual tantos fazem a peregrinação à Catedral de Trier – acredita-se que pedaços da túnica de Cristo foram encontrados aqui, conhecidos como ‘Túnica Sagrada’. Embora tenha sido mencionado durante o século 12, os fragmentos do manto não foram encontrados até centenas de anos depois.

Hoje, a relíquia permanece trancada em um anexo e é retirada em ocasiões extremamente especiais. Essa não é a única relíquia sagrada que pode ser encontrada nesta catedral, já que um prego da Cruxificação também foi encontrado aqui, conhecido como ‘Holy Nail’.

Basílica de São Pedro

A Basílica de São Pedro é uma das igrejas mais visitadas do mundo e tanto sua história quanto sua localização no Vaticano fazem parte disso. A Basílica de São Pedro também é conhecida por seu tamanho, que abrange muitos pontos históricos e sagrados de interesse para muitos que fazem a peregrinação até lá. A basílica foi construída no ano 333, mas foi reconstruída durante o século XVI, tornando-se ainda uma das catedrais mais antigas de Roma. Uma das razões pelas quais esta basílica é tão significativa é porque acredita-se que ela foi construída sobre o túmulo de São Pedro.

A basílica ainda é usada regularmente e uma das características mais proeminentes, a varanda central, chamada Loggia della Benedizione, é usada pelo Papa quando ele fala ao público. Dentro da basílica, os visitantes podem ver as 13 estátuas ao longo de sua fachada, que incluem o Cristo Redentor e São João Batista. As paredes internas da basílica também são impressionantes, apresentando significado histórico em suas obras de arte e nos artistas por trás delas. Miguel Ângelo é o responsável pela Pietá, a conhecida escultura renascentista, e também pelo Baldaquino, que Bernini esculpiu a partir do bronze que veio do Panteão.