casamento wedding

O que é Destination Wedding

Sabe aquela viagem em amigos para o litoral? Você convida um, que convida outro, e quando vocês vão ver já são 6 carros lotados, a casa precisa ser enorme, com uns 10 quartos pra caber todo mundo, e rola aquela vibe boa, uma cooperação para que tudo dê certo. Se você já passou por isso, você sabe do que eu estou falando, da sensação de ter os amigos por perto num lugar incrível.

Destination Wedding é exatamente isso, e além dos amigos, inclui a família dos noivos e uma cerimônia de casamento que ninguém nunca mais vai se esquecer.

Destination Wedding Ubatuba

Créditos: Fotógrafo Fábio Ohara

Quais os destinos possíveis?

Qualquer lugar. Esse termo pode ser usado para qualquer casamento que envolva uma viagem, um deslocamento para outra cidade, que não seja a dos noivos. Se todos os convidados precisam viajar para chegar ao casamento na cidade onde os noivos moram, tecnicamente falando, não é um destination.

Os noivos tem que escolher um lugar que tenha a ver com a história deles, ou com o que eles gostam de fazer. Se eles gostam de montanhismo, de lugares frios, então Santo Antonio do Pinhal, Campos do Jordão, ou o Vale dos Vinhedos no Rio Grande do Sul, são ótimas opções.

Se os noivos gostam de praia, o casamento pode ser na Península de Maraú, litoral sul da Bahia, que é hoje um dos points nordestinos para casamento na praia. Fernando de Noronha continua sendo uma ótima opção, mas pense em seus convidados, sobre os recursos necessários para que eles cheguem e se hospedem por lá, que por ser uma ilha paradisíaca, custa.

Em São Paulo também temos belíssimas praias para este tipo de cerimônia. Como, por exemplo, as praias de Ubatuba, que são preservadas e cercadas pela Mata Atlântica.

Casamentos reais

casamento-poliglota

Descrição: Casamento Juliana e Raul em Ubatuba-SP

Fotografo: Diogo Massareli

Ubatuba-SP foi a opção dos noivos Juliana e Raul, que moram em Santiago do Chile. Juliana é brasileira e Raul é chileno, mas viveu boa parte da sua vida nos EUA. Então a cerimônia foi trilíngue, português, inglês e espanhol, feita pelo celebrante Daniel Santos. O local escolhido por eles foi o deck de madeira do Itamambuca Eco Resort, na praia de Itamambuca, onde é possível ver o rio desembocando no mar, uma cena poética por si só.

brazilian-wedding-ubatuba

Desrição: Casamento Luana e Kris em Ubatuba-SP

Créditos: Wagner Prado

Ubatuba-SP também foi a opção dos noivos Luana e Kris. Eles moram na Nova Zelândia, mas a Luana é brasileira e queria casar no seu país, pé na areia. O Kris é da Sérvia, então de qualquer jeito a família dele precisaria viajar, e muito, para ir no casamento dele. Então a melhor alternativa encontrada foi a Praia Grande de Ubatuba, uma praia com quiosques e estrutura necessária para realização de uma festa para quase 200 pessoas. Que não teria acontecido sem a assessora da Hellen Nogueira.

Experiência como um todo

O que deve ser pensado é no todo, não apenas na cerimônia. Pense bem, seus convidados chegarão na sexta-feira à noite, se você não organizar um pode ter certeza que eles farão um churrasco em família ou pelo menos um luau. Sábado de manhã é praia para os convidados e noivo. Só a noiva e madrinhas terão o “dia da noiva” se produzindo o dia todo no salão, com direito a massagem, sauna e banhos essenciais. Domingo é outra atividade e pode ser um passeio turístico organizado por uma agência de viagens local, assim todos conhecem a parte histórica, e os principais pontos da cidade.

Se você está pensando na complexidade dessa organização toda, calma. Pense primeiro na lista de convidados. Pense bem, faça filtros, refine. Decididos os convidados você vai sabe quantos são, suas capacidades financeiras e limitações físicas. Isso mesmo, não dá pra fazer um casamento numa ilha com um candeirante entre os convidados. Não pela impossibilidade de chegar lá. Mas pelo constragimento e riscos da oepração e colocar e tirar essa pessoa de um pequeno barco até a ilha.

Ou uma pessoa muito idosa como a avó do noivo ou da noiva, com mais de 80 anos. É um risco que niguém quer correr. Então pense em locais de fácil acesso para todos. Pense na acessibilidade também, estamos num momento de inclusão das pessoas, e não o contrário.

Convide madrinhas e padrinhos para organizar etapas. Uma madrinha pode ficar responsável pelo tour no domingo. Um padrinho pelo churrasco na sexta-feira à noite. Delegar funções podem e devem ser feitas, as pessoas se sentirão parte do processo e desse modo vocês tiram muitas coisas das costas e focam no que é importante, na celebração do amor, da vida, e na formação de uma nova família.
Artigo escrito por Casamentonapraia.blog.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *