Em 2021 o Brasil teve maior número de fusões e aquisições entre empresas

Volta de investimentos estrangeiros aumentou o número de operações no Brasil

Grandes movimentações no mercado marcaram o início de 2021. Em busca de escalabilidade, corporações pensam em realizar investimento em concorrentes turbinando o número de fusões e aquisições de empresas no Brasil.

Um levantamento da KPMG mostra que houve 375 operações de aquisições e fusões de empresas apenas no 1° trimestre de 2021. A maior parte das transações, no total 244 operações, ocorreram entre companhias brasileiras. O resultado aponta as fusões e aquisições de negócios como um recurso no país nos últimos 20 anos.

O estado de São Paulo liderou o número de operações no 1° trimestre de 2021, seguindo na liderança no ranking da KPMG. Apenas nos três primeiros meses do ano, empresas paulistas estiveram envolvidas em 53,9% das operações de fusões e aquisições.

Estudo mostra retomada de investimentos estrangeiros no país

fusões de empresas
Em 2021 o Brasil teve maior número de fusões e aquisições entre empresas 2

No total foram realizadas 131 operações de fusões e aquisições de negócios com participação de empresas de outros países. De acordo com a pesquisa, é possível notar a retomada dos investimentos estrangeiros no país em 2021. A maior parte dos investidores é composta por norte-americanos, responsáveis por 72 das 131 transações.

Em 2020, houve uma queda de 28,3% nas operações envolvendo empresas estrangeiras em 2020. No ano passado, foram apenas 322 operações com parceiros estrangeiros, número bem menor do que os 449 negócios realizados em 2019.

A maior parte, 116 destas, foram de compras de empresas brasileiras por investidores estrangeiros. Também houve 13 operações CB2, quando empresas brasileiras adquirem empresas estrangeiras estabelecidas no exterior.

Além disso, houve 1 operação CB3, quando brasileiros adquirem empresas estrangeiras estabelecidas no Brasil, e 1 operação CB4, quando estrangeiros adquirem de empresas estrangeiras algum negócio estabelecido no Brasil.

Setor de tecnologia lidera ranking de operações

Segundo o levantamento da KPMG, o setor de tecnologia liderou o ranking de fusões e operações no início de 2021. Juntas, as empresas de Internet e TI (Tecnologia de Informação) foram responsáveis por 205 das 275 operações realizadas no 1° trimestre do ano.

Empresas do setor de internet participaram de 149 negócios, enquanto empresas de TI estiveram envolvidas em 56 operações no período. O desempenho do setor consolida uma mudança no perfil de investimentos em fusões e aquisições de empresas no mercado brasileiro.

Vale lembrar que o ramo de tecnologia também liderou o ranking de operações e fusões em 2020. Das 1.117 operações realizadas no ano passado, 314 transações envolveram empresas de internet e 168 empresas do setor de TI.

O resultado mostrou um aumento de 7% no número de transações das empresas de internet em 2020, fazendo com que o setor mantivesse a liderança no ranking de aquisições e fusões.

Abertura de IPO ajuda no aumento de fusões e aquisições

Em entrevista ao portal UOL, o responsável global do Itaú BBA, Roderick Greenless afirmou que o aumento no número de aquisições foi ajudado pelo aumento no número de empresas que abriram capital.

Ao abrirem um IPO, as empresas ficam listadas na Bolsa de Valores e abrem acesso ao capital de novos investidores. Com isso, as companhias que capitalizaram bastante nos últimos anos estão indo às compras com ofertas arrojadas de fusão e aquisição em busca de ter uma presença mais forte no mercado.

O presidente da Corporate Consulting, Luís Alberto de Paiva, disse ao UOL que há no mercado empresas com apetite para comprar novos negócios e também corporações que precisam de um comprador para sanar suas dívidas.

Isso faz com que muitas organizações diminuam o valor de venda no mercado, o que torna as operações mais atrativas. Para se ter ideia, dados da consultoria JK Capital apontam um aumento de 20% na média de operações dos últimos anos.

A expectativa do mercado é que, com a volta dos investimentos estrangeiros, o número de operações volte a crescer em 2021, chegando até a alcançar um valor recorde.