Aparecimento de doenças bucais tem relação com o tabagismo

Mesmo com o número de fumantes em queda no Brasil, o tabagismo ainda é uma questão preocupante. Somente no Brasil, 23 pessoas morrem a cada hora devido ao fumo, segundo dados do Ministério da Saúde. Para reverter esse problema e estimular campanhas de conscientização, no dia 29 de agosto é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo.

Dentre as muitas doenças causadas pelo vício, o hábito de fumar é, sem dúvida, um agravante para o aparecimento de doenças bucais. É o que afirma o dentista Dr. José Bernardes das Neves, especialista em periodontia e mestre e doutor em implantodontia, do Centro de Odotontologia José Bernardes, em Belo Horizonte.

“A fumaça do cigarro é um perigo para a saúde. O monóxido de carbono diminui a concentração de oxigênio na boca e impede a ação dos anticorpos, deixando a região mais susceptível a ação de bactérias e outros microorganismos. Com isso, toda região da boca fica mais vulnerável a uma série de doenças bucais como a gengivite, por exemplo”, comenta o especialista.

Ainda, de acordo com Dr. José Bernardes, um dos problemas mais comuns causados pelo cigarro é o aparecimento das manchas nos dentes, deixando uma coloração amarela ou tons acinzentados. “Em casos extremos, os dentes podem ficar cinza, impossibilitando, praticamente, qualquer tipo de tratamento. O clareamento pode minimizar os efeitos da coloração, mas o resultado só será eficaz, se o hábito for abandonado”.

Outro problema bucal causado pelo cigarro é a periodontite, conforme explica Dr. José Bernardes. De acordo com uma pesquisa divulgada recentemente pela Universidade de São Paulo (USP), os fumantes têm sete vezes mais chances de desenvolver essa doença do que uma pessoa que não fuma. “Geralmente, os fumantes possuem mais placas e a bactérias nas superfícies dos dentes. Se não tratada a tempo, a inflamação da gengiva pode passar aos ligamentos e ossos que dão suporte aos dentes, estimulando que fiquem soltos e, posteriormente, possam cair”.

O risco de perda dentária eminente por conta do tabagismo faz com que cada vez mais pessoas recorram ao implante. No entanto, mesmo com a cirurgia que refaz a arcada dentária do paciente, é necessário que se conscientize da importância de largar o fumo. “Quem fez o implante dentário precisa se conscientizar que precisa para de fumar para evitar qualquer complicação no futuro. A pessoa que fuma tem 15,8% de chance de perder o implante se continuar fumando e, inclusive tem uma cicatrização muito mais lenta e corre risco de uma infecção por conta da resposta imunológica baixa”, diz Dr. José.

Em tempo

As doenças causadas pelo tabaco são responsáveis por perdas econômicas de aproximadamente US$ 200 bilhões de dólares em todo o mundo. No Brasil, somente em 2011 foi gasto 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) para ara tratar doenças relacionadas ao tabaco, conforme levantamento feito pela organização não governamental Aliança do Controle do Tabagismo (ACT). De acordo com os dados da ACT, 82% dos casos de câncer de pulmão no país são causados pelo fumo. Outros problemas de saúde também são provocados pelo cigarro: 83% dos casos de câncer de laringe estão relacionados ao tabagismo, 13% dos casos de câncer do colo do útero e 17% dos casos de leucemia mieloide.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *